NOTÍCIAS

Postado em 09 de Julho às 15h08

ABPA: Banco do Brasil renegociará dívida de produtor de aves e suínos

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Banco do Brasil renegociará dívidas de custeio e investimentos de produtores de aves e suínos, informou na sexta-feira, 6, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em nota. A medida atende a um pleito da entidade para minimizar os danos provocados pela greve dos caminhoneiros, ocorrida entre maio e junho, e por embargos internacionais à exportação de carnes.
Segundo a associação, o banco apresentou a proposta de renegociação na quinta-feira, 5, em reunião realizada em Brasília. Estiveram presentes o diretor executivo da ABPA, Ricardo Santin, o vice-presidente de Agronegócios do BB, Tarcísio Hübner, e o diretor de Agronegócios do BB, Marco Túlio Moraes da Costa.
A instituição disponibilizará “medidas simplificadas de prorrogação de dívidas rurais” com parcelas vencidas em 2017, ou com prazo de vencimento em 2018, nos casos de investimentos e custeios prorrogados em anos anteriores, com a reprogramação das parcelas para um ano após o fim do contrato. Especificamente no custeio, as condições incluem pagamento de 30% da dívida no ato e a quitação do saldo restante será em 2 parcelas, sendo a primeira delas em 2019.Os suinocultores ainda terão a opção de acessar linhas de crédito, com prazo de até dois anos para pagamento, para retenção de matrizes. As taxas de juros serão de 6% ao ano para produtores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e 7% ao ano para os demais.

“A compreensão da diretoria do Banco do Brasil à situação do setor vem em um momento
fundamental, em que a cadeia produtiva busca se reestruturar após os embargos de exportação e fortes prejuízos causados aos avicultores e suinocultores pelos bloqueios nas estradas”, comenta Francisco Turra, presidente da ABPA.

Fonte: Dinheiro Rural

Veja também

EUA propõem mudanças em inspeção em unidades de processamento de suínos25/01 Empresas processadoras de carne suína nos Estados Unidos podem assumir um nível maior de responsabilidade na fiscalização de suas operações industriais e aumentar o ritmo de abate de animais. Conforme novas regras propostas pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), o limite máximo de abate passaria de 1.106 para 1.295 animais por hora. O novo sistema......
Inicia a maior feira da indústria da carne da América Latina14/09/16 A Mercoagro 2016 segue até sexta-feira (16), das 14 às 21 horas, no Parque de Exposições Tancredo Neves, em Chapecó (SC) Abriu nesta terça-feira (13), no Parque de Exposições Tancredo Neves, em......
BRF lança nova marca Kidelli com processados à base de aves e suínos15/01 A BRF, dona da Sadia e Perdigão, apresentou na última semana sua nova marca, a Kidelli, que vai oferecer aos consumidores alimentos processados à base de aves e suínos. O vice- presidente de Negócios da companhia no......

Voltar para Notícias (pt)