NOTÍCIAS

Postado em 19 de Outubro de 2017 às 09h56

Aeroporto do Galeão terá cão farejador para vigilância agropecuária

Mercoagro – Edição 2018 O Aeroporto Internacional do Antônio Carlos Jobim, o Galeão, no Rio de Janeiro, será o próximo terminal aeroportuário do País a contar com o trabalho dos cães de...

O Aeroporto Internacional do Antônio Carlos Jobim, o Galeão, no Rio de Janeiro, será o próximo terminal aeroportuário do País a contar com o trabalho dos cães de detecção (farejadores). Os animais, treinados pelo Centro Nacional de Cães de Detecção, do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), auxiliam na fiscalização federal agropecuária, evitando a entrada de pragas vegetais e doenças animais no Brasil. A previsão é que a cadela Neca, pastora alemã, esteja trabalhando naquele local até abril de 2018. Neca será integrante da Equipe K9.
“O Vigiagro segue usando cães de detecção devido aos resultados positivos, como o altíssimo grau de acerto dos cães”, diz o chefe do Serviço de Vigilância e Fiscalização Animal da Coordenação Geral do Vigiagro, Paulo Campani.
O Galeão foi escolhido sob o ponto de vista técnico e estratégico, por ser o segundo maior aeroporto do Brasil em movimento internacional de passageiros e também porque está estrategicamente localizado, reunindo o Centro de Tratamento de Encomendas Internacionais dos Correios, bem como as demais empresas de remessas rápidas internacionais.
Nesta quarta-feira (18) será realizada no Galeão reunião com a equipe do Centro Nacional de Cães de Detecção para elaboração de cronograma destinado a implantação da Equipe K9. Serão discutidas a construção de canil para abrigo dos animais de trabalho (instalações e acessos); infraestrutura do serviço de cães de detecção (veículos e local de acesso); desembarque internacional (fluxo de passageiros e fluxo de bagagens); e recebimento de cargas internacionais (fluxo de cada tipo de recebimento).
O Vigiagro já tem um cão de detecção no aeroporto Brasília, o Léo, e o cão Thor, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba. No terminal do Paraná, Thor, também presta serviço no Centro de Tratamento de Encomendas Internacionais dos Correios em Curitiba. Ambos cumprem o slogan do serviço: “Defendendo a agropecuária do Brasil”.

Fonte: MAPA
Foto: Divulgação/Mapa

Veja também

Santa Catarina tem a primeira compartimentação da avicultura de corte do mundo27/03/18 O Estado, que já é referência em defesa agropecuária, comemora mais uma conquista e se torna o primeiro do mundo a ter um projeto de compartimentação da avicultura de corte. O sistema implantado na unidade da Seara Alimentos em Itapiranga é resultado de 11 anos de trabalho do Governo do Estado, Ministério da Agricultura e iniciativa privada. A......
Boi/Scot: Em 20 anos, abates cresceram 114% no Brasil18/06/18 A evolução anual no número de bovinos abatidos no Brasil entre 1997 e 2017 foi de 114%, ou de 449 mil cabeças por ano, informou a Scot Consultoria, em relatório sobre o tema, com base em dados do Instituto Brasileiro de......
Cidasc celebra 38 anos de excelência em sanidade agropecuária28/11/17 A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca celebra 38 anos de história e grandes conquistas para os catarinenses. Desde que foi criada,......

Voltar para Notícias (pt)