NOTÍCIAS

Postado em 07 de Junho às 11h43

Brasileiro é eleito como membro da comissão do código sanitário terrestre da OIE

  • Mercoagro – Edição 2018 -

A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, Paris/França) elencou um brasileiro como membro da Comissão do Código Sanitário Terrestre. O comunicado foi realizado na última reunião geral feita pelo órgão. O reconhecimento foi dado ao médico-veterinário e superintendente federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Brasília/DF) no Rio Grande do Sul, Bernardo Todeschini.
O código apresenta normas que são utilizadas para a comercialização de animais terrestres
e de produtos de origem animal. O objetivo é dar reconhecimento internacional do status sanitário, além de diretrizes para o controle e erradicação de doenças. “A missão do grupo é trabalhar na revisão dos textos do código, sua atualização com o progresso científico, bem como diretrizes de outros organismos internacionais", declara Todeschini.
Um dos critérios para que possa integrar a comissão é ser formado em medicina veterinária
e possuir amplo conhecimento das principais enfermidades dos animais, além de ter experiência e competência em aspectos zoossanitários do comércio internacional de produtos de origem animal.
Para a seleção é feito um processo seletivo aberto em nível mundial, que é concluído com uma votação direta com participação de delegados dos 181 países-membros da organização.
Outro brasileiro também recebeu indicação para atuar na Comissão Científica de Enfermidades dos Animais Terrestres, desta vez o professor da Universidade de Brasília, Vitor Picão Gonçalves. “Os dois profissionais têm estreitas relações com o Fundo, contribuindo de forma importante para as discussões e trabalhos sobre sanidade animal", ressalta o presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal (Fundesa, Porto Alegre/RS), Rogério Kerber.
Fonte: A.I., adaptado pela equipe feed&food

Veja também

As safras e a economia31/01 O sucesso das safras agrícolas e a abundante oferta de alimentos foram determinantes para a baixa taxa de inflação que a economia brasileira registrou em 2017. Ao gerar os principais itens da alimentação humana – grãos, leite, frutas e carnes – em volume suficiente para saciar a população, o setor primário brasileiro criou......

Voltar para Notícias (pt)