NOTÍCIAS

Postado em 18 de Julho de 2018 às 13h42

Disputa entre EUA e China favorece indústria de carnes de SC

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Depois de enfrentar um obstáculo atrás do outro no primeiro semestre deste ano – ausência de compras de carne suína pela Rússia, embargo ao frango pela Europa, restrições religiosas no mercado árabe e a pesada greve de transportadores – o setor de carnes de Santa Catarina vê potencial de melhores vendas neste segundo semestre.
O que mais anima é o mercado interno e a produção para as festas de fim de ano. Mas com a guerra comercial Estados Unidos-China pode sobrar mais mercado no gigante asiático para carnes do Estado e do País. Uma fonte do setor agroindustrial admitiu que há potencial para mais venda de carnes à China, mas preferiu não estimar quanto.
Entre os que veem oportunidades de mais vendas aos chineses está o consultor Henry
Quaresma, CEO da Brasil Business Partners, especializada em negócios com chineses. Segundo ele, com a sobretaxa de 25% que será colocada pelos EUA para 1,3 mil produtos chineses, incluindo automóveis, soja, carnes, produtos químicos e outros, serão abertas oportunidades para empresas brasileiras.
“O agronegócio brasileiro deverá estudar estrategicamente a forma de aproveitar as
oportunidades, principalmente com a soja e as carnes exportadas ao mercado chinês”, recomenda ele.
Diante de tantos obstáculos para exportar, as mudanças ao mercado chinês podem ser
uma chance de expandir vendas lá fora.

Fonte: Estela Benetti, do NSC Total

Veja também

Sauditas proíbem insensibilização em frangos e ameaçam embarques do Brasil29/03/18 O plano da Arábia Saudita de aplicar regras mais rígidas para o abate halal de frangos nos países exportadores é o último revés dos produtores do Brasil, o maior fornecedor mundial. Empresas como BRF e JBS, que já lidavam com investigações, com o aumento do custo da ração animal e com a queda das exportações, agora podem......

Voltar para Notícias (pt)