NOTÍCIAS

Postado em 11 de Outubro às 11h06

Frimesa anuncia início das obras do maior frigorífico da América Latina

Mercoagro – Edição 2018 Na primeira etapa, investimento de R$ 600 milhões vai gerar mais de 3.000 empregos diretos   No próximo dia 19 a cooperativa central Frimesa, do Oeste do Paraná, começa a...

Na primeira etapa, investimento de R$ 600 milhões vai gerar mais de 3.000 empregos diretos

 

No próximo dia 19 a cooperativa central Frimesa, do Oeste do Paraná, começa a construir no município de Assis Chateaubriand o maior frigorífico da América Latina, que terá capacidade de abate de mil cabeças de suíno por hora. Na primeira etapa, que deve ser concluída ainda em 2018, serão investidos R$ 600 milhões, gerando mais de três mil empregos diretos.
“Após o lançamento da pedra fundamental (dia 19), começaremos com toda a parte de infraestrutura, terraplanagem, escavações e fundações. Esperamos que em 8 a 10 meses esteja concluída essa etapa para depois iniciarmos a obra civil e as instalações”, disse o diretor executivo da cooperativa, Elias Zydec. Uma segunda fase de expansão, em 2024, prevê investimentos de mais R$ 350 milhões para que a cooperativa alcance até 2030 a capacidade de abater 15 mil suínos por dia.
O novo frigorífico ocupará uma área construída de 141 mil metros quadrados em uma propriedade de 115 hectares. Detalhes sobre o cronograma do projeto e de geração de empregos serão apresentados apenas às vésperas do lançamento da pedra fundamental, mas informações extraoficiais são de que boa parte dos postos de trabalho ainda não foi preenchida. No mês passado, em entrevista à Expedição Suinocultura do Agronegócio da Gazeta do Povo, o presidente da Frimesa, Valter Vanzella, disse que só esperava o sinal verde de algumas licenças ambientais para começar as obras.

Com sede no município de Medianeira, a Frimesa é uma central formada por cinco cooperativas filiadas – Copagril, Lar, C.Vale, Primato e Copacol – e possui cerca de 4.900 produtores parceiros e fornecedores da matéria-prima para industrialização. É a maior empresa paranaense de abate e processamento de suínos (6500 animais por dia) e está entre as maiores empresas do país de recebimento de leite (655 mil litros diários). A cooperativa conta com cinco unidades industriais. Em Medianeira fica o complexo de processamento de carnes, enquanto as unidades de operação de leite se encontram em Marechal Cândido Rondon, Matelândia e Capanema, no Paraná, e em Aurora, Santa Catarina.
Em 2017, a Frimesa intensificou as ações de marketing para um portfólio que reúne mais de 400 produtos. “Esse foi o ano que mais nos dedicamos às vendas, à comunicação, a ter uma maior penetração na mente do consumidor”, afirma Zydec. “Esse foi o nosso objetivo e creio que estamos conseguindo atingir. Os retornos estão muito bons, tanto em vendas como na valorização e na memorização da marca Frimesa por parte do consumidor”, acrescentou o executivo.

Fonte: Gazeta do Povo
Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Veja também

Peças para reposição são o destaque da Solufrigo03/06/16 A empresa Solufrigo Componentes Industriais LTDA, fábrica de peças de precisão para reposição das máquinas frigoríficas importadas, estará pela primeira vez na Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne (Mercoagro 2016). A Solufrigo atende frigoríficos de todo Brasil no ramo de aves, suínos,......
Faesc destaca esforço na abertura de novos mercados para o agronegócio16/10/15 A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) elogiou a ação de defesa do setor primário e de abertura de mercados para a agropecuária catarinense que a ministra Kátia Abreu,......
Embarques de carne in natura para EUA iniciam em cerca de 90 dias08/08/16 As exportações de carne bovina in natura para os Estados Unidos devem iniciar em cerca de 90 dias, após finalização dos trâmites administrativos realizados pelas autoridades dos Ministérios da Agricultura e......

Voltar para Notícias (pt)