NOTÍCIAS

Postado em 25 de Setembro às 11h22

Governo argentino libera importação de carne bovina fresca do Brasil

Mercoagro – Edição 2018 Restrição foi imposta em 2012 após a descoberta de um caso de vaca louca BUENOS AIRES - O governo argentino liberou esta semana as importações de carne bovina fresca proveniente...

Restrição foi imposta em 2012 após a descoberta de um caso de vaca louca


BUENOS AIRES - O governo argentino liberou esta semana as importações de carne bovina fresca proveniente do Brasil, depois de vários anos de restrições aplicadas após a descoberta de um caso da doença da vaca louca. A decisão da Casa Rosada foi informada pelo Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa), que voltará a emitir certificados para a entrada de carne fresca brasileira.
A Argentina acaba de autorizar, também, a entrada de carne porcina dos Estados Unidos, medida que busca conseguir, em contrapartida, sinal verde das autoridades americanas para que possam entrar no mercado americano a carne e os limões argentinos.
As restrições à carne fresca brasileira começaram em 2012. Outros produtos continuaram entrando, de acordo com dados do próprio Senasa. Em 2016, o Brasil exportou 1.999 toneladas de produtos derivados da carne, mas desde 2012 não entra carne fresca.
“O Brasil já tinha o mercado aberto, o que se fez foi eliminar exigências que eram feitas para a entrada de seus produtos”, explicou ao jornal “La Nación” o presidente da Câmara da Indústria e Comércio da Carnes (CICCRA), Miguel Schiariti.
A balança bilateral do setor é amplamente favorável aos argentinos. No ano passado, o país exportou 5.457 toneladas de carne para o Brasil, o que representou um aumento de 17% em relação ao ano anterior. Um dos tipos de carne argentina mais vendida para o mercado brasileiro é a picanha.

FONTE: O GLOBO

Veja também

Produção de carne precisa crescer 13% para suprir demanda até 202611/12 “O desafio está lançado”, afirma o presidente do Conselho de Administração da Associação Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon, São Paulo/SP), Alberto Pessina. A frase se refere à necessidade de crescimento da produção de carne bovina no Brasil, que deve aumentar 13% para suprir o aumento de 7% da demanda interna e 31% nas......
Exportações de carne suína crescem 40,8% em maio30/06/16 Dados levantados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que as exportações brasileiras de carne suína, considerando todos os produtos (in natura, embutidos e outros processados) totalizaram......

Voltar para Notícias (pt)