NOTÍCIAS

Postado em 05 de Março de 2018 às 13h25

IC Agro fecha o ano em 100,3 pontos e níveis de confiança sobem com resultado

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Índice de Confiança Agropecuária (IC Agro) terminou 2017 com os níveis de otimismo
mais elevados que nos últimos anos, isso porque o último trimestre alcançou 100,3 pontos, um avanço de 1,2 em relação ao período anterior. A metodologia utilizada para avaliação aponta que o balanço positivo é considerado acima de 100 pontos.
O estudo é feito pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp, São
Paulo/SP) e Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB, Brasília/DF). "Esse resultado sinaliza uma recuperação dos ânimos que haviam esfriado ao longo do ano, principalmente entre os produtores agrícolas e os fabricantes de insumos. Entre os pecuaristas e as indústrias de forma geral, o nível de desconfiança continuou maior", conta o gerente do Deagro da Fiesp, Antonio Carlos Costa.
A partir dos resultados, conclui-se que o entusiasmo seja maior entre os agricultores do que entre os pecuaristas. No primeiro caso, o índice subiu 11,1 pontos, chegando a 104 pontos. "A recuperação dos preços de commodities como soja e milho, nos últimos três meses de 2017, ajuda a explicar um pouco o aumento no otimismo. Outro destaque é o humor dos produtores em relação ao crédito agrícola, que está num dos melhores níveis da série histórica", revela o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.
O crescimento também deixou otimista o produtor agropecuário, que fechou o ano com
101,8 pontos, tendo uma alta de 8,6 pontos em relação ao terceiro trimestre de 2017. Esse foi o único período do ano em que o índice fechou de forma positiva.
Entre os pecuaristas a confiança segue estável. O indicador desse grupo subiu 0,9 ponto,
fechando o ano em 95,1 pontos. A falta de ânimo em relação aos custos de produção pesou para manter o indicador num patamar baixo, o que era de se esperar diante do aumento nos preços de insumos importantes, como é o caso do milho, ao longo do segundo semestre de 2017. Outro aspecto no qual houve perda de confiança foram os preços, nesse caso a queda foi mais acentuada entre os produtores de leite do que entre os pecuaristas de corte.
ANTES E DEPOIS DA PORTEIRA
A queda de 4 pontos na confiança da indústria, para 99,3 pontos em relação ao terceiro
trimestre de 2017, não significa necessariamente um esfriamento geral dos ânimos, pois o
resultado foi influenciado por segmentos específicos depois da porteira, como as empresas de trading e logística, atividades nas quais as margens de lucro foram pressionadas nos últimos tempos. Entretanto, a maioria dos setores que compõem esse grupo apresentou maior confiança em relação ao trimestre anterior. Já a indústria antes da porteira apresentou avanço de 0,4 ponto, para 105,2 pontos no encerramento do ano, mantendo-se estável.
"Os resultados do indicador refletem em boa parte o que aconteceu ao longo do ano. No segundo trimestre, os produtores foram mais reticentes em avançar com as negociações de fertilizantes e defensivos, num momento em que os preços das principais commodities agrícolas, como a soja e o milho, estavam em baixa. Do terceiro trimestre em diante, porém, a comercialização de insumos se normalizou, diante de uma recuperação gradual nas cotações e um clima favorável ao desenvolvimento da safra de verão", conclui Costa.
Fonte: Fiesp, adaptado pela equipe feed&food

Veja também

Diferença de preço do suíno vivo e do frango é a menor em 11 anos20/07/18 A diferença de preços entre o suíno vivo e o frango é a menor dos últimos 11 anos, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. Segundo os analistas, nesta semana, o preço do suíno tem registrado baixas mais expressivas na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea, especialmente no estado de São Paulo, devido......
Crescem as demandas de carnes Halal para comunidade muçulmana no mundo12/01/18 A busca por produtos Halal no mundo aumenta a cada ano. Só para você entender um pouco mais, vamos saber o que significa Halal. O alimento permitido no Islã, de acordo com as regras de Deus escritas no Alcorão, é denominado......

Voltar para Notícias (pt)