NOTÍCIAS

Postado em 23 de Abril às 13h18

Mapa vai normatizar destino de carcaças de aves e suínos mortos por causas naturais

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou na quinta-feira (19)
a portaria 37, que abre prazo de 30 dias para consulta pública relacionada à elaboração de
normas destinadas ao recolhimento, transporte, armazenagem, manuseio, transformação e
eliminação de animais de produção mortos por causas naturais – não abatidos – nas
propriedades. Não estão incluídos os animais mortos em virtude de emergências sanitárias.
Segundo o Mapa, estão sujeitos a controle todos os estabelecimentos rurais, registrados
no Serviço de Inspeção Federal (SIF), criadores de suínos e aves de produção, transportadores, unidades de transformação e de eliminação de animais de produção mortos por causas naturais (acidentais/catastróficas, ou por causas usuais ou rotineiras, excluindo-se as doenças respiratórias e as causadas por bactérias ou protozoários).
As normas objetivam prevenir e minimizar os riscos de resíduos afetarem a saúde pública e animal, o meio ambiente, além de possibilitar uma destinação sustentável e com segurança sanitária a essas carcaças. Está previsto que a normatização será atualizada a cada cinco anos. O transporte dos resíduos será controlado por meio do Documento de Trânsito de Animais Mortos (DTAM).
Estimativas dão conta de que mais de 550 mil toneladas de aves e suínos morrem nas
propriedades por conta de problemas de manejo, desastres e doenças, segundo o ministério. Conforme a proposta de normatização, além da destinação das carcaças para as indústrias de graxaria para a produção de farinha e produtos gordurosos, também poderá ser feita a compostagem ou a incineração.

Fonte: Carnetec

Veja também

China e Hong Kong reduzem impacto do embargo russo para carne suína brasileira09/02 As fortes elevações dos embarques para a China e Hong Kong reduziram o impacto causado pelo embargo imposto pela Rússia à carne suína brasileira desde dezembro do ano passado, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). O caso mais emblemático é o da China, que no primeiro mês de 2018 importou 13,5 mil toneladas,......
Brasil vai exportar material genético avícola para o Quênia29/05 O Brasil já pode exportar ovos férteis e pintos de um dia para o Quênia, na África. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu nesta segunda-feira (28) a aprovação do certificado......
SC registra faturamento 14,97% maior na exportação de carne suína13/12/17 Em onze meses, Santa Catarina embarcou 253,8 mil toneladas de carne suína para países como Rússia, Hong Kong, China, Chile e Cingapura. E, mesmo com uma quantidade 0,24% menor do que no mesmo período de 2016, o setor não......

Voltar para Notícias (pt)