NOTÍCIAS

Postado em 15 de Março de 2016 às 13h58

Mercoagro receberá empresários chineses

A Mercoagro é uma feira de renome internacional devido o sucesso que alcançou ao longo de 22 anos em que é realizada em Chapecó. Na edição de 2016, os diferentes setores da economia chapecoense já se preparam para receber empresários de todo Brasil e do mundo.

Segundo a empresária diretora da Nova Turismo e Eventos, Clarice Bressiani, um grupo de visitantes e expositores da China já está agendado para vir ao Brasil especificamente para a feira. “Os expositores vêm para vender seus equipamentos e serviços e os visitantes vêm com a intenção de negociar com expositores”, comenta Clarice. 

A Mercoagro está programada para o período de 13 a 16 de setembro deste ano, no parque de exposições da Efapi, e envolve as empresas fornecedoras da indústria da carne que abrange, entre outros, os setores de congelamento, refrigeração, automação industrial, ingredientes e aditivos, embalagens, transporte e armazenagem, equipamentos e acessórios.

Além do mercado da carne, a feira movimenta diversos outros setores da economia regional. De acordo com o diretor de feiras da ACIC, Bento Zanoni, “o expositor sabe que na Mercoagro se fazem bons negócios, por isso ela é a preferida entre as feiras do setor. Ao recebermos empresários de diversas regiões do País e do Mundo, movimentamos também os hotéis, restaurantes e transporte”, destaca.

Para receber o grupo de chineses, por exemplo, é necessária uma estrutura completa. “Temos que contratar os serviços de intérprete para atender desde o receptivo no aeroporto, auxílio no check-in do hotel e alimentação”. O grupo chinês solicitou, ainda, um cardápio para a semana toda baseado na culinária chinesa.

Segundo a empresária, grupos de outros países também iniciaram contato. Um deles é da Colômbia e possuem demandas específicas. “As expectativas são positivas. Agora começam os contatos dos expositores e nos próximos meses dos visitantes”, diz otimista.

A feira é organizada pela Associação Comercial e Industrial (ACIC) e tem apoio da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) e do Centro de Tecnologia de Carnes do ITAL.

Veja também

Consumo de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018, indica Cepea10/01 Segundo análise do Cepea o consumo doméstico de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018, o que corresponde a 49,6 mil toneladas a mais frente ao estimado para 2017. Esse incremento na demanda tem como base o cenário mais conservador de crescimento do PIB previsto pelo Banco Central do Brasil (BC), de 0,62% em 2018. Conforme dados dos pesquisadores, o cálculo é para um......
Mapeamento do DNA do nelore leva à genoma que gera a qualidade da carne01/06 Alguns avanços em pesquisas científicas conseguiram identificar regiões no genoma que controlam a expressão dos genes relacionados às características que causam uma melhor qualidade da carne na raça nelore. A......
Cotações do suíno vivo fecham outubro com estabilidade07/11/17 Os preços do suíno vivo fecharam outubro estáveis. Segundo a análise do Cepea/Esalq a estabilidade foi reflexo da cautela de produtores em fechar novos negócios, devido à oferta restrita, e ao recuo de......

Voltar para Notícias (pt)