NOTÍCIAS

Postado em 06 de Março de 2017 às 15h30

Minerva continua atenta a oportunidades para crescer na América do Sul

Mercoagro – Edição 2018 A Minerva Foods continua atenta às oportunidades de expansão dos seus negócios na América do Sul para além dos países em que já possui unidades produtivas, disseram...

A Minerva Foods continua atenta às oportunidades de expansão dos seus negócios na América do Sul para além dos países em que já possui unidades produtivas, disseram executivos da empresa na quarta-feira (22) durante teleconferência de resultados com analistas.
“Parte da nossa estratégia é a diversificação geográfica, não só por meio de aquisições mas também arrendamento”, disse o presidente da empresa Fernando Galletti de Queiroz a analistas.
Em janeiro, a empresa cancelou a compra do frigorífico Frisa alegando que os vendedores não cumpriram com todas as condições precedentes para que o acordo pudesse ser fechado.
O executivo disse que a empresa está atenta às oportunidades na Colômbia e Argentina que não necessariamente implicam em aquisições.
Ele reafirmou que a Minerva tem a estratégia de estar focada na América do Sul no segmento de bovinos. Além do Brasil, a Minerva também tem operações no Uruguai e no Paraguai.
Queiroz disse que a carne bovina produzida na América do Sul é competitivia no mercado global de commodities devido aos baixos custos de produção.
Para 2017, a Minerva espera recuperação no ciclo de bovinos colaborando para melhora no preço da carne.
Apesar de um cenário de crise econômica no Brasil em 2016, a Minerva conseguiu elevar as vendas domésticas da Divisão Carne em 10% no ano passado, para R$ 2,7 bilhões, o que foi atribuído à estratégia de expansão de pontos de venda da empresa. A Minerva Foods revertou o prejuízo registrado em 2015 e teve um lucro líquido de R$ 195 milhões em 2016.

Fonte: Carnetec 

    Veja também

    Brasil no centro da demanda mundial de alimentos03/08 Projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos sobre o aumento da produção de alimentos até 2027, colocam o Brasil na liderança, com uma expansão esperada de 69% para a agropecuária brasileira nesse período de 10 anos. Em seguida, aparecem: Argentina, de onde se espera um crescimento de 44%, Rússia, com 34%; Índia com 28%;......
    Agronegócio produz mais a preço menor e ajuda no controle da inflação24/11/17 O crescimento do PIB-volume do agronegócio está estimado em 6,3% neste ano, considerando-se informações disponíveis até agosto/17, segundo indica pesquisa do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia......

    Voltar para Notícias (pt)