NOTÍCIAS

Postado em 05 de Fevereiro às 15h20

Novacki lidera missão à Ásia e Oriente Médio em busca de novos mercados

O Secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA),
Eumar Novacki, chefia uma missão brasileira à Ásia e Oriente Médio em busca de novos
mercados e de consolidar a posição brasileira já conquistada nestas localidades. A delegação brasileira tem agendadas negociações bilaterais na Coreia do Sul, Cingapura, Indonésia, Malásia e Emirados Árabes Unidos, quando manterá reuniões com autoridades governamentais e lideranças empresariais destes países, entre os dias 4 e 16 de fevereiro.
Uma das maiores preocupações do Ministério é com a renda do produtor rural que vem caindo nos últimos anos, e por isso a importância de buscar negócios do outro lado do mundo.
“Precisamos garantir a renda do nosso produtor para que ele continue produzindo e melhorando a sua produtividade. É necessário que a gente garanta mercado para os produtos de quem está na ponta da cadeia do agronegócio”, justificou Novacki.
A mesma preocupação foi demonstrada pelo ministro Blairo Maggi, durante o evento do
lançamento do pré-custeio agrícola do Banco do Brasil, nesta terça-feira (30), em Rio Verde,
Goiás, na presença do Presidente da República, Michel Temer.
“Infelizmente, nos últimos anos, ao mesmo tempo em que o produtor vem crescendo em
produtividade e eficiência, em uso de tecnologia, as suas margens têm ficado cada vez menores.
É um sinal de alerta que está acendendo e deve chamar a atenção dos governos estaduais,
municipais e do Ministério da Agricultura”, disse Blairo Maggi. Desde que o ministro Blairo Maggi assumiu a pasta da agricultura, há dois anos, o Ministério estabeleceu um plano para ampliar a participação brasileira no comércio exterior dos quase 7% atuais para 10% em um prazo de cinco anos. Esse salto, garantirá ao País uma injeção de US$ 30 bilhões por ano na economia brasileira, gerando emprego e renda. Para tanto, o Ministério tem intensificado as missões internacionais.
Nesta missão, temas como a promoção comercial, sanidade animal e vegetal, investimentos, infraestrutura, importação e exportação de produtos e segurança alimentar farão partes dos debates da delegação nacional com os representantes daqueles países. A comitiva brasileira será composta por integrantes do MAPA, do executivo nacional, de governos estaduais e de representantes de empresas e entidades ligadas ao agronegócio.
BLAIRO MAGGI JÁ ESTEVE NA EUROPA NESTE ANO
Dentro da estratégia do ministério para ampliar o comércio exterior do agronegócio, o
ministro Blairo Maggi esteve na Alemanha e Bélgica na segunda quinzena de janeiro para
participar da 10ª Conferência de ministros de países integrantes do Fórum Global para a
Alimentação e a Agricultura (GFFA), realizada anualmente na Semana Verde Internacional em Berlim. 
Na Alemanha, Blairo Maggi destacou a importância ambiental e econômica da agropecuária brasileira e a inserção internacional do setor, além de participar de painéis e reuniões de interesses bilaterais com colegas de outros países como Alemanha, Argentina, Japão, Nova Zelândia e Suíça.
O ministro manteve ainda compromissos em Bruxelas, onde se encontrou autoridades da
União Europeia, responsáveis pelas pastas da Agricultura, Saúde e Segurança Alimentar e
Comércio e também com interlocutores do setor privado europeu que atuam no comércio
internacional de produtos agropecuários.
MISSÕES EM 2017
No ano passado, o Ministério da Agricultura organizou missões do agronegócio à União
Europeia (Países Baixos, Bélgica, Alemanha, França, Polônia, Suiça, Itália e Espanha), países do Oriente Médio (Arábia Saudita, Kuwait, Catar, Emirados Árabes Unidos e Irã), Ásia Oriental (China), América do Sul (Peru e Bolívia), além dos Estados Unidos e Rússia.
As comitivas foram chefiadas pelo ministro Blairo Maggi e em outras vezes pelo secretário-
executivo, Eumar Novacki, que se revezaram no papel de divulgar as qualidades dos produtos agropecuários brasileiros no exterior.

Fonte: MAPA
Crédito da foto: Carlos Silva/Mapa

Veja também

Carne de laboratório: ameaça iminente ou alternativa hipotética?13/11/17 Um dos principais alvos de crítica quando se fala em proteína animal é a forma de produção. Muitas vezes baseados em inverdades, militantes questionam sobre a engorda, uso de medicamentos e formas de abate. Um novo conceito, baseado em produção por células tronco e outras alternativas, promete atender aos clamores dessas pessoas: a carne produzida......
A busca por novos mercados para a carne suína brasileira24/07 No ano passado, a Rússia representou 38% do total de carne suína embarcada para o exterior. Foi devido a essa alta representatividade que o setor produtivo estremeceu diante dos embargos do país ao suíno brasileiro. Em apenas um......

Voltar para Notícias (pt)