NOTÍCIAS

Postado em 24 de Julho às 11h40

Porque uma boa fazenda de suínos não pode ficar sem tecnologia

  • Mercoagro – Edição 2018 -

A escassez de mão de obra é um dos principais problemas na produção suína moderna. No
entanto, mudar para a tecnologia para economizar mão de obra parece um passo gigantesco, diz Casey Bradley, especialista em tecnologia de alimentação de suínos. Ela tem pelo menos três boas razões para considerar mais aplicações tecnológicas.
Minha transição profissional na DSM tem sido bastante movimentada. Eu tenho planejado
ativamente um programa comercial de pesquisa de porcas na América do Norte. Durante o
processo de investigação, discuti minhas ideias com várias pessoas da minha rede acadêmica e industrial.


PROBLEMA NÚMERO UM NA PRODUÇÃO DE SUÍNOS
Durante muitas das discussões com os produtores, o problema número um que eles estão
enfrentando é uma escassez de mão de obra, muito menos acesso a mão-de-obra altamente treinada. Durante as discussões da pesquisa, tive que explicar o tipo de tecnologias de alimentação que precisaríamos usar para pesar com precisão e misturar diferentes dietas para porcas gestantes e lactantes.
Como nutricionista, entendo os benefícios potenciais deste tipo de equipamento para qualquer sistema de produção e não apenas pesquisa. No entanto, a tecnologia assusta os produtores e segue o mesmo caminho para a minha última coluna, "choque de adesivo" (preços inesperadamente altos) é a questão maior. Muitos deles administram as finanças e não podem justificar o preço extra de um milhão de dólares.

TECNOLOGIA PODE ECONOMIZAR MÃO DE OBRA EM CELEIROS
Estou perplexa com as contradições de uma escassez de mão de obra, sendo o problema número um enfrentado pela nossa indústria e não considerando uma tecnologia que economize ou estenda mão-de-obra dentro de um sistema. Assim, se você está considerando novas tecnologias para seus sistemas, pensei em compartilhar com você algumas das minhas percepções ou benefícios:

CAPACIDADE DE CONTRATAR UM TIPO DIFERENTE DE EMPREGADO
A geração Z não pode viver sem tecnologia. Essa nova geração entende a tecnologia e sabe como usar essas ferramentas para ser mais eficiente e bem-sucedida. Além disso, você pode utilizar as pessoas que são boas em criação de animais para o trabalho com animais e as pessoas "técnicas" para manter seus equipamentos funcionando.

FOCO ANIMAL DIRECIONADO
Este tipo de tecnologia permite que você encontre as porcas em risco mais rápido e fácil, enquanto os outros 80-95% cuidam de si mesmos. Além disso, há muitas pesquisas disponíveis sugerindo que as matrizes têm necessidades nutricionais diferentes, baseadas em vários fatores.
A tecnologia de mistura de rações permite que você adapte a porca às suas necessidades individuais, aumentando a produtividade e / ou a eficiência dela.

TRANSPARÊNCIA CLARA
Essas tecnologias fornecem dados para ajudá-lo a tomar decisões melhores, desde a
compreensão do motivo pelo qual você realmente está perdendo animais, até a execução de seus próprios testes internos de pesquisa, para minimizar ainda mais o erro humano. Não há mais como adivinhar se a porca comeu ou não ontem, mas você saberá disso antes mesmo de terminar sua xícara de café da manhã. Sem mencionar que os consumidores de hoje querem transparência e tecnologia pode ajudar em nossa transparência.

ROI CLARO PARA FAZENDAS DE SUÍNOS
Resumindo, uma boa estimativa do custo de um empregado nos EUA é de cerca de US$
50-75.000 por ano para um sistema de produção. Em um plano de depreciação normal, o
equipamento é depreciado em 10 anos.
Dentro de um sistema de 5.000 porcas, o equipamento adicionado é de aproximadamente
US$ 20 / porca / ano. Se você puder administrar a unidade com um funcionário a menos e
potencialmente produzir mais um suíno por porca por ano, o ROI (Return on Investment) estará lá. Desta vez, não preciso de um modelo econômico que apenas um matemático entenda, mas é um forte argumento comercial considerar a adição de tecnologia às suas unidades.


Fonte: Suinocultura Industrial

Veja também

Master vai investir R$ 250 milhões em frigorífico em Mafra12/02/16 Bem localizada no Planalto Norte, Mafra começa a atrair investimentos de peso. A agroindústria Master, de Videira, dona da marca Sulita, vai instalar no município frigorífico para abate de suínos e industrialização de carnes próximo do entroncamento entre as BRs-280 e 116. O investimento projetado é de R$ 250 milhões, serão gerados 835......
ACIC e Sihrbasc divulgam restaurantes conveniados à Mercoagro 201823/01Estabelecimentos servirão pratos típicos da culinária da região durante o período da feira A Mercoagro 2018, em parceria com o Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Chapecó (Sihrbasc), traz uma novidade para a feira que será realizada no período de 11 a 14 de setembro de 2018 no Parque de......

Voltar para Notícias (pt)