NOTÍCIAS

Postado em 04 de Julho às 16h17

Preço do suíno vivo registra valorização em SC e MT

  • Mercoagro – Edição 2018 -

O preço do quilo do suíno vivo registrou valorização de preço nos estados de Santa Catarina, Mato Grosso, Distrito Federal e Rio Grande do Sul. A maior alta de preço é do suíno mato-grossense, que passou de R$ 2,37 para R$ 2,76 em um mês. Ou seja, avanço de 17,3%.
Houve queda de preço nos estados do Paraná, São Paulo e Goiás. Neste caso, as retrações no preço foram de 10%, 8,33% e 5,26%, respectivamente.
Os dados da bolsa de suínos foram obtidos da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e das associações estaduais do setor. Segundo a Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS), a bolsa de suínos do estado de São Paulo, em sua cotação de preços, registra negócios efetuados com média em 17.693 suínos de R$ 64,07/@, R$ 3,41/Kg vivo. No mês passado, o valor era de R$ 3,72.
Na semana anterior, o preço máximo atingido foi de R$ 67,00/@, mercado regional abaixo de 100 suínos, nas condições bolsa. O pior preço praticado, aponta a entidade, foi de R$ 62,00/@, ou seja, R$ 3,31/Kg vivo.
Já a Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg) apontou que a bolsa de suínos de na região, realizada na quinta-feira (28), determinou o valor de R$3,60 para a comercialização do quilo do suíno vivo no Estado. A validade do preço definido é de 29 de junho a 5 de julho, quando haverá nova reunião na entidade.
Em Santa Catarina, o suíno vivo era comercializado a R$ 3,20 o quilo até o mês passado.
Agora, o valor passou a R$ 3,60. No Distrito Federal, o valor subiu 7,12%, de R$ 3,51 a R$ 3,76. Enquanto isso, no Rio Grande do Sul, o preço evoluiu de R$ 3,26 a R$ 3,33, ou seja, incremento de 2,15%.

Fonte: Suinocultura Industrial

Veja também

Frango: maior demanda sustenta preço interno, apesar da redução dos embarques10/11/17 As exportações de carne de frango caíram em outubro pelo segundo mês seguido, mas os preços internos da proteína estão firmes e, inclusive, em alta neste início de novembro em muitas regiões acompanhadas pelo Cepea. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário indica uma melhora na demanda brasileira por carne de frango, o que vem ajudando a......
Porque uma boa fazenda de suínos não pode ficar sem tecnologia24/07 A escassez de mão de obra é um dos principais problemas na produção suína moderna. No entanto, mudar para a tecnologia para economizar mão de obra parece um passo gigantesco, diz Casey Bradley, especialista em......
Gestão de custo é foco de pecuarista, diz pesquisa23/08 Uma pesquisa realizada com 1.630 entrevistados em 542 municípios diferentes de todos os Estados do Brasil mostra que a maior preocupação do pecuarista brasileiro é em relação a sua gestão de custos. Cerca de......

Voltar para Notícias (pt)