NOTÍCIAS

Postado em 11 de Maio às 09h32

Presidente da ABPA recebe Prêmio Carne Forte por atuação em defesa do setor

Mercoagro – Edição 2018 O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, recebeu na terça-feira (9) o Prêmio Carne Forte, durante a abertura da EXPOMEAT (Feira Internacional de...

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, recebeu na terça-feira (9) o Prêmio Carne Forte, durante a abertura da EXPOMEAT (Feira Internacional de Processamento e Industrialização de Aves, Bovinos, Ovinos, Suínos e Pescado), que ocorre até quinta-feira (11), em São Paulo.
Turra foi eleito uma das dez personalidades mais atuantes na defesa e na divulgação da proteína animal brasileira para o mundo. Ele apareceu entre os três mais votados na categoria livre de uma consulta realizada com lideranças de 780 empresas, entre fornecedores, editores de publicações especializadas e dirigentes de entidades públicas e privadas.
O nome do prêmio é uma alusão à Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal em março deste ano. O presidente da ABPA teve uma atuação intensa nos meses que sucederam a investigação. “Utilizamos todas as plataformas e ações disponíveis, como eventos, coletivas de imprensa, artigos e até missões internacionais, para mostrar ao país e ao mundo que as irregularidades eram de uma parcela ínfima da cadeia nacional, menos de 0,01% dos frigoríficos”, recordou Turra.
A diretora da EXPOMEAT, Maria Antonia Ferreira, destacou que a iniciativa foi mais um esforço para reforçar a imagem do setor. “O Brasil é um dos principais players de proteína animal no mundo. O Prêmio Carne Forte é um reconhecimento à nossa posição de destaque no cenário internacional e um estímulo a essas pessoas lutadoras e abnegadas que trabalham intensamente para reforçar o nosso nível de atividade e excelência”, resumiu.

Francisco Turra

Foi presidente-executivo da Conab, transformando-a, de uma organização com sérios problemas, na empresa pública mais eficiente do Brasil, segundo a Revista Exame.
Em 1998, comandou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Criou programas como o Moderfrota, além de diversas iniciativas voltadas para o pequeno e médio produtor, que permitiram ao país crescer sua produção em 18% no período. Em sua gestão, os embarques de carne bovina cresceram 81%; de frutas, 71% e de carne de frango, 20%.
Comandou ainda a Diretoria de Agronegócios da Fiergs e a Diretoria de Desenvolvimento do BRDE. Em 2008, assumiu a presidência-executiva da ABEF que depois, fundida com a UBA, formou a União Brasileira de Avicultura (UBABEF). É presidente-executivo da ABPA desde 2014.

Veja também

União Europeia amplia mercado de carne industrializada do Brasil10/06/16 Em 2015, o Brasil exportou 104,4 mil toneladas de carne industrializada, o que gerou uma receita de US$ 633,58 milhões  A União Europeia (UE) ampliou de 9 para 23 o número de estados que podem fornecer carne bovina para a fabricação de produtos industrializados (carne enlatada) de exportação. "Este é um avanço no reconhecimento de status......
Chapecó tem manifestação em apoio aos produtores de carne27/03 Empresários, funcionários e consumidores da cadeia produtiva da carne reuniram-se em manifestação na manhã de sábado, 25, em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina. Eles demonstraram apoio à......
Brasil tem 90% dos frigoríficos habilitados para o abate Halal03/05 O Brasil possui 90% dos frigoríficos habilitados para produzir proteína animal Halal e seus derivados, de acordo com nota divulgada pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, na quarta-feira (26/4). O conceito Halal trata-se......

Voltar para Notícias (pt)