NOTÍCIAS

Postado em 12 de Julho às 13h35

Representantes se reúnem para debater a suinocultura

  • Mercoagro – Edição 2018 -

Com o objetivo de debater o futuro da suinocultura independente, diversos produtores se
reuniram no auditório da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS) na última
semana. O foco central do encontro foi consolidar a troca de informações entre eles.
A articulação entre as entidades e os produtores visa equilibrar o mercado independente.
Os membros da entidade também pontuam a criação de um departamento para o levantamento de preços do suíno entre as associações, uniformizando as informações de mercado entre os Estados.
Para o presidente da Associação Paranaense de Suinocultores (APS), Jacir Dariva, a unificação das informações de mercado entre as associações possibilita balizar o preço do suíno, entretanto, o dirigente defende que isso só será real com a participação efetiva dos suinocultores.
Já o presidente da ACCS, Losivanio Luiz de Lorenzi, salienta a importância dos suinocultores entregarem produtos com preço justo, ao invés de cobrar valores menores.
"Precisamos mudar essa realidade para que a suinocultura independente possa sobreviver com renda e qualidade de vida no campo. A partir de hoje essa atividade terá uma nova realidade porque todos terão um compromisso maior na formação de preço", completa A Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS) também esteve representada no encontro por seu presidente, Valdomiro Ferreira Júnior (Ferreirinha), que apresentou a metodologia utilizada na formulação da bolsa de suínos em São Paulo.
O objetivo da APCS é apresentar às demais associações e aos produtores de que forma o
departamento identificador de preços seria constituído dentro das entidades. "Vamos comprovar sua legalidade jurídica e econômica. Precisamos desenvolver uma ferramenta que tenha amparo jurídico e que possa interferir em algum momento no mercado, mostrando que as fontes dadas para o indicador têm informação correta", explica Ferreira.

Fonte: Suinocultura Industrial

Veja também

Exportações de carne bovina crescem 17%, mas segundo semestre é de incerteza22/06 Mesmo com a paralisação dos caminhoneiros, os embarques de carne bovina apresentaram crescimento de 17% nos quatro primeiros meses deste ano em relação a 2017. No último mês, as exportações se mantiveram estáveis. No entanto, os efeitos da greve para toda a cadeia produtiva podem causar impactos no desempenho no decorrer deste ano, apontam os dados do......
Exportações de carne de frango totalizam 463,1 mil toneladas em julho02/08 As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) alcançaram 463,1 mil toneladas em julho, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal......

Voltar para Notícias (pt)