Notícias

Boi/Imea: oferta restrita de gado terminado em mato grosso faz arroba subir 39% de maio a outubro

Boi/Imea: oferta restrita de gado terminado em mato grosso faz arroba subir 39% de maio a outubro
15/Outubro/2020
Compartilhar:

A oferta restrita de bois gordos para abate em Mato Grosso este ano fez com que a arroba tivesse expressivo aumento no Estado, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em boletim divulgado hoje. "Este cenário, somado às exportações em níveis mais elevados, está fazendo com que os preços da arroba permaneçam na tendência altista", complementou.

Segundo o instituto, desde maio de 2020 - quando as cotações começaram a se recuperar da queda abrupta dos meses mais críticos da pandemia - até a primeira semana de outubro, a arroba do boi gordo a prazo já acumulou alta de 38,78%. Nesta terça-feira, encerrou o dia a R$ 245,77, alta de 0,58%, segundo o indicador do boi gordo para Mato Grosso do Imea.

Igualmente, a arroba da vaca gorda a prazo teve forte valorização no período, de 42,02% - hoje, encerrou a R$ 236,03 (+0,95%). "Mais recentemente, no comparativo entre a primeira semana de setembro com a primeira de outubro, verifica-se que as arrobas mais uma vez subiram, desta vez 10,15% para a do boi e 10,68% para a da vaca, com preços médios de R$ 242,67 e R$ 232,07, respectivamente", diz o instituto, acrescentando que a valorização continuou pautada na "alta procura por animais para abate".

Em razão da escassez de animais terminados, as escalas de abate também ficaram mais curtas em Mato Grosso, com 5,7 dias, recuo semanal de 0,29 dia e 1,03 dia a menos que em igual período de 2019.

Exportações

No mesmo boletim, o Imea fez um balanço das exportações de carne bovina mato-grossenses em setembro, com base nos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia. Segundo o Imea, Mato Grosso exportou 8% menos carne bovina em setembro em relação a agosto de 2020, embarcando ao exterior no mês passado 41,56 mil toneladas equivalente-carcaça (TEC). Segundo o Imea, o recuo ocorreu por causa das menores compras de países do Oriente Médio - tradicionais parceiros comerciais do Brasil -, que adquiriram 15,37% menos carne bovina de Mato Grosso em setembro ante agosto; do Egito, com 31,87% menos compras, e da Rússia, com uma queda expressiva de 70,36%.

"Em contrapartida, a China, - principal destino da carne de Mato Grosso - apresentou aumento de 2,21%, mas desta vez não foi suficiente para segurar a queda total", relata o Imea. "Porém, ao comparar a igual período do ano passado, o volume escoado ao mercado externo neste mês ainda fica 16,21% superior", diz o Imea, avaliando que isso indica que, mesmo assim, "as exportações mato-grossenses estão bem aquecidas e seguem em patamares elevados", diz, no boletim. "Prova disso é que o acumulado de janeiro a setembro de 2020 é 23,33% maior que o de 2019, inclusive, com registro de recorde histórico em julho."

Fonte: Broadcast Agro

APP Mercoagro

Baixe nosso App
e acompanhe a
Mercoagro na
palma da mão

App Mercoagro - Google playApp Mercoagro - App Store