Notícias

China habilita 13 novas plantas de carnes brasileiras

China habilita 13 novas plantas de carnes brasileiras
13/Novembro/2019
Compartilhar:

A China habilitou mais cinco plantas brasileiras processadoras de carne bovina, cinco de carne suína e três de carne de frango a exportarem para o país, informou a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, em vídeo divulgado pelo Mapa na terça-feira (12).

A Marfrig informou que teve duas plantas de carne bovina habilitadas na mais recente lista: Pontes e Lacerda (MT) e São Gabriel (RS). A empresa passa a ter 13 unidades com permissão para exportar para o país asiático, sendo sete no Brasil, quatro no Uruguai e duas na Argentina.

A JBS também teve uma planta de carne bovina habilitada, em Senador Canedo (GO), além de três unidades de carne suína no Rio Grande do Sul (Caxias do Sul, Três Passos e Seberi).

A BRF teve seu frigorífico em Lajeado (RS) habilitado a exportar carne suína.

A Aurora Alimentos obteve habilitação para exportar carne suína a partir da planta de Sarandi (RS).

As outras unidades habilitadas a exportar carne bovina na mais recente lista são Frigorífico Sul, em Aparecida do Taboado (MS), e Naturafrig Alimentos, em Pirapozinho (SP).

Entre as novas habilitações para exportar carne de frango também estão a planta da Zanchetta Alimentos, em Boituva (SP), a unidade da União Avícola Agroindustrial, em Nova Marilândia (MT), e da Unita Cooperativa Central, em Ubiratã (PR).

“Nas prévias da realização do encontro dos BRICS, a notícia das novas habilitações dá o tom da parceria que China e Brasil estão construindo em prol da segurança alimentar e da ampliação da pauta comercial”, disse o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, em comunicado divulgado pela entidade.

“Já consolidado como principal fornecedor externo de frango para a China, o Brasil agora deve expandir sua participação, também, nas vendas de carne suína.”

A China aumentou as importações de carne suína brasileira em 40% nos dez primeiros meses deste ano para 183,1 mil toneladas, em 22% no caso da carne de frango (444,7 mil toneladas) e em 23,3% para carne bovina (318,92 mil toneladas).

O forte aumento nas exportações ocorre devido aos casos de peste suína africana que estão reduzindo a produção interna de carne suína chinesa e elevando a necessidade de importação de proteína animal.

Mesmo antes dos casos de peste suína africana, executivos de frigoríficos brasileiros já mencionavam o aumento da renda da população chinesa como fator que estava impulsionando a demanda por carnes importadas naquele país, principalmente de carne bovina.

Fonte: CarneTec