Notícias

Bélgica envia primeiro carregamento de carne suína para a China desde o fim do embargo

Bélgica envia primeiro carregamento de carne suína para a China desde o fim do embargo
21/Fevereiro/2024
Compartilhar:

Após seis anos, um contêiner com produtos suínos partiu para a China

Após o término do embargo chinês que perdurou desde 2018, um marco significativo foi alcançado pela Bélgica: o envio de um contêiner com produtos suínos para a China. Este é o primeiro carregamento desde o recente fim do embargo chinês, que estava em vigor desde 2018. A China suspendeu as importações de carne suína belga em setembro de 2018 devido ao surto de peste suína africana (PSA) na Bélgica. Embora a Bélgica tenha sido oficialmente declarada livre da doença em 2020, a proibição de importação permaneceu em vigor. Após anos de intensa cooperação entre a agência de segurança alimentar FAVV e as autoridades belgas e chinesas, a China suspendeu o embargo no mês passado.

As carnes de suínos para a China estão sujeitas a requisitos de qualidade adicionais. “Por exemplo, os chineses exigem que a carne provenha de suínos nascidos e criados na Bélgica, e o tratamento dos produtos de exportação belgas também deve ocorrer numa sala separada ou num horário separado”, afirma Joris Coenen, do Gabinete Belga de Carnes, parte do Centro de Comercialização Agro-Pesqueira (VLAM).

A exportação destas partes do animal significa tanto um volume de negócios adicional como um emprego adicional no frigorífico. A Westvlees em Westrozebeke pagará uma sobretaxa extra aos suinicultores que possuem suínos adequados para exportação para a China.

·Fonte: ACCS

Termos de Uso e Aviso de Cookies

Cookies: a Mercoagro salva estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação, obtenha mais informações em nossa Política de Privacidade


Realização:

ACIC Chapecó

Comercialização:

Enterprise

Parceira:

Prefeitura de Chapecó